7 de fevereiro de 2018

Meu histórico capilar e suas várias fases diferentes.

Pode se dizer que sou uma mulher de fases ou de lua, como preferir! Em razão do último vídeo que foi postado no canal na sexta-feira (02 de fevereiro) sobre o presente que recebi da Salonline e os cuidados com o meu cabelo. Resolvi contar um pouquinho também do histórico dele e provar que sou uma imensa camaleoa. 

Hoje, aos 27 anos que finalmente desencanei de deixar o cabelo sempre impecável e alinhado como os padrões de hoje definem, me redescobri ondulada, descolorida e muito feliz assim! Mas até aceitar que o cabelo não era liso e nem cacheado, o jeito era ser rebelde e sempre mudar.

É eu gostava de chamar a atenção e mostrar que tenho estilo, isso ainda não mudou. Mas por gostar de estar na moda, o meu cabelo sofreu e bastante. Me frustrava pela textura do cabelo, pra mim o certo naquele momento era muitos cachos definidos e volume ou liso ao extremo com movimento, mas o meu era o meio termo. como eu chamava.

As muitas cores!

O natural chegava a ser um tom castanho médio, porém quando me encontrei com 15 anos e a febre do RBD persistia (entendeu o trocadilho com a palavra rebelde?) eu decidi ficar ruiva, vermelho cereja e virar sósia da Roberta Pardo, igual na novela. Me mantive assim por quarto anos.

Aos 17 aninhos junto com a tintura eu fiz relaxamento (sim, eu cometi esse pecado), na época por sorte não tive corte químico muito profundo, mas tive corte sim. Resumindo cuidei e mantive apenas a tintura, mas não curtia a textura nas madeixas, ou seja… as ondinhas.

Até que cheguei na maior idade e sosseguei… Mentira,  aí que a coisa piorou, eu queria voltar ao meu castanho. Mas como eu faria isso?! Sendo que fiquei 4 anos usando a tonalidade mais difícil de tirar do couro cabeludo, que é o vermelho?! Virando a Sharpay Evans agora, é claro! Não é piada gente, de um colegial eu pulei para outro.

Sim, eu descolori em cima do vermelho, cometi mais esse pecado e fiquei laranja por pelo menos 1 mês, até cometer outra loucura, a descoloração global.

Descoloração Global

Juro, não sei como não fiquei careca, mas acabei curtindo e resolvi mudar de ideia outra vez e me manter loiríssima. O problema foram os retoques quinzenais que machucaram toda a minha raiz, de tanta química em tão pouco tempo me descobri alérgica ao pó descolorante.

Enfim, contra a minha vontade teria mesmo que ficar morena, mas ficaria saudável. Assim que o cabelo se recuperou me mantive no tom natural das madeixas por pelo menos 6 meses (até meados de abril de 2009) quando eu percebi um corte químico (acreditem foi leve) que me obrigou a cortar. Cortei bastante porque realmente quis, não por estar tão prejudicado.

Apesar de tudo, onde passei por 3 cores em menos de 1 ano, esse cabelo foi forte e ainda esta… Ainda me mantenho loira com apenas luzes e cronograma capilar sem nenhuma outra química. Me identifiquei loira, aceitei ser ondulada.

Mais Atenta, experiente, cuidadosa e acima de qualquer coisa, desencanada com padrões.
Não precisa ter um cabelo enorme para agradar ninguém, não precisa alisar para ser bonita, não precisa ser magra para ser sexy. Gostar de você e se aceitar não é esquecer dos seus defeitos que não te agradam, tire proveito deles pois chega um dia que eles perdem a importância negativa e você aprende a enxerga-los de outro modo e assim não se prende a nada, se sente livre, se transforma.

  • maria natureza Linha Maria Natureza da Salonline
  • 2 de fevereiro de 2018

     Vegana e Liberada é a Maria Natureza da Salonline!

    maionese

    O foco de hoje é essa foto, a foto que me fez conhecer a Salonline e a linha Maria Natureza. Ela me fez aceitar quem eu realmente sou. A partir desse dia, mudei o meu corte e dei a devida atenção nas ondas que estavam escondidas ali.

    Não foi Publicidade.

    Lembrando que tanto o post quanto o vídeo são uma simples forma de agradecimento pelo carinho que a empresa teve comigo. Quem me acompanha sabe que no canal eu mostrava o quanto cuidava do meu cabelo e senti no coração que precisava mostrar para vocês o quanto a Salonline me surpreendeu.

    O kit que recebi é maravilhoso e não vou deixar de usar tão cedo. Com ele dois mimos, uma cartinha super carinhosa da Equipe de Relacionamento da marca e uma tacinha prata de acrílico .

    No dia que postei essa foto, nem havia pensado em retornar com o blog ainda, mas contei na legenda que tinha gostado muito do resultado da Maionese Matizadora e que se ainda tivesse o blog, com toda a certeza falaria dela por aqui. Não deu outra, a empresa educadamente veio falar comigo e acabei recebendo esse presentão.

    Como o processo de retorno do blog acabou acontecendo mesmo, só no final de janeiro que consegui gravar esse vídeo de primeiras impressões e detalhar a resenha aqui.

    Os meus recebidos da Salonline são:

    Shampoo, Condicionador e Máscara
    Ricos em vitaminas, ácidos graxos naturais, lipídios e antioxidantes excelentes para hidratação, nutrição e reparam as proteínas perdidas recuperando os fios com brilho e maciez.

    CC Cream Leave in Multifuncional com 10 funções em 1 –
    Cheio de benefícios e métodos diferentes de usar. Sendo um verdadeiro tônico revitalizante que devolve o brilho e saúde aos fios. Rico também em vitamina B e C, dando força e resistência a fibra capilar.

    Grande beijo, e se mais alguém já usou me conta aí nos comentários o que achou da Linha Maria Natureza, ok?

  • Mulher de fases
  • bullet journal Bullet Journal – Maio de 2018
  • blog Por que eu abandonei o Blog?!
  • 28 de janeiro de 2018

    Minha trajetória de blogueira:

    Em meados de 2006 se iniciava a minha trajetória nesse universo paralelo de oportunidades na internet como blogueira. O auge dos flogs estava se extinguindo e quem era bastante curioso e tinha assunto para falar era fácil virar blogueiro… No meu modo de ver, de início era mais diversão e não profissão, como é considerado hoje. Mas muitas pessoas ainda são teimosos em não compreender e aceitar essa modificação.

    Na minha época – por assim dizer – que como muitos, começou “de brincadeira” e persistência inseria layouts prontos disponibilizados pelo Evelyn’s Place da vaca mais amada e conhecida desse Brasil, Evelyn Regly (que também é profissional na area nos dias de hoje e constituiu sua marca) – usávamos plataformas antigas e muito famosas naqueles anos, como o Uol Blog onde o subdomínio terminava em .zip.net (divertido de recordar!).

    Aprendíamos na raça e literalmente fuçando em como editar em php, html e css, ou por ventura aprendia também a usar o Adobe Photoshop ou Corew Draw, não era nem ninja, pulava para nível samurai (não que hoje eu seja expert e me lembre de muita coisa que aprendi naquele tempo, longe disso!).

    Era ódio mortal se copiassem nossas idéias, nossas edições e codificações dentro de um blog, falávamos de famosos e da vida pessoal sem nenhum repertório e planejamento, ou cuidado. Muito mais que um diário digital explicito, onde tudo parecida chiclete, se mexia e brilhava (parecido, mas um pouco pior que os efeitos dos stories) e a moda era saber fazer um layout bevelado, como esses abaixo, que modéstia parte deram trabalho…  Para aquela época!

    Meus velhos layouts:

    fashion bloom

    teen girl

     

    Fiz esse post simplesmente para lembrar que essa brincadeira muito gostosa, mudou e mudou muito. Blogueiras, são privilegiadas e ganham presentes, sem fazer nada? É isso que vem na sua cabeça? Isso me ofende, porque se a pessoa ainda esta nessa ou voltou (meu caso), que seja por amor. Criar conteúdo, não é “não fazer nada”! Hoje as pessoas lutam muito para conseguir o que querem, dizer aquilo que pensam, influenciarem para o bem, apenas ajudarem e ainda serem respeitadas. Essa é a missão e o ponto, eu acredito!

    Quase 8 anos nesse mundinho que as vezes é bem cansativo (me lembro bem!) a falta de escrever, falar, gravar e me expressar chegava a doer. Amigos desse tempo me falavam e eu não levava a sério…. “Nasceu blogueiro, morre blogueiro”. Será?! Me faz bem, vou continuando assim.

    Homenageio neste final de texto, quem me incentivou a entrar nesse meio, quem apoiou o meu retorno, quem não apoiou e criticou, quem fez parte dessa memória e me acompanhava, quem voltou a acompanhar ou esta conhecendo o blog agora, enfim… Esta nas mãos de Deus esse 2018. Não é minha profissão no momento, só amor mesmo. Mas se gosta do que faz, vai atrás. Profissão é se realizar como pessoa, não apenas financeiramente.

  • blog Mih Farbo voltou e agora é .com
  • blog Por que eu abandonei o Blog?!