IGTV,  Life Style,  Moda, Beleza e Saúde,  Vídeos

Mulher de fases

Meu histórico capilar e suas várias fases diferentes.

Pode se dizer que sou uma mulher de fases ou de lua, como preferir! Em razão do último vídeo que foi postado no canal na sexta-feira (02 de fevereiro) sobre o presente que recebi da Salonline e os cuidados com o meu cabelo. Resolvi contar um pouquinho também do histórico dele e provar que sou uma imensa camaleoa. 

Hoje, aos 27 anos que finalmente desencanei de deixar o cabelo sempre impecável e alinhado como os padrões de hoje definem, me redescobri ondulada, descolorida e muito feliz assim! Mas até aceitar que o cabelo não era liso e nem cacheado, o jeito era ser rebelde e sempre mudar.

É eu gostava de chamar a atenção e mostrar que tenho estilo, isso ainda não mudou. Mas por gostar de estar na moda, o meu cabelo sofreu e bastante. Me frustrava pela textura do cabelo, pra mim o certo naquele momento era muitos cachos definidos e volume ou liso ao extremo com movimento, mas o meu era o meio termo. como eu chamava.

As muitas cores!

O natural chegava a ser um tom castanho médio, porém quando me encontrei com 15 anos e a febre do RBD persistia (entendeu o trocadilho com a palavra rebelde?) eu decidi ficar ruiva, vermelho cereja e virar sósia da Roberta Pardo, igual na novela. Me mantive assim por quarto anos.

Aos 17 aninhos junto com a tintura eu fiz relaxamento (sim, eu cometi esse pecado), na época por sorte não tive corte químico muito profundo, mas tive corte sim. Resumindo cuidei e mantive apenas a tintura, mas não curtia a textura nas madeixas, ou seja… as ondinhas.

Até que cheguei na maior idade e sosseguei… Mentira,  aí que a coisa piorou, eu queria voltar ao meu castanho. Mas como eu faria isso?! Sendo que fiquei 4 anos usando a tonalidade mais difícil de tirar do couro cabeludo, que é o vermelho?! Virando a Sharpay Evans agora, é claro! Não é piada gente, de um colegial eu pulei para outro.

Sim, eu descolori em cima do vermelho, cometi mais esse pecado e fiquei laranja por pelo menos 1 mês, até cometer outra loucura, a descoloração global.

Descoloração Global

Juro, não sei como não fiquei careca, mas acabei curtindo e resolvi mudar de ideia outra vez e me manter loiríssima. O problema foram os retoques quinzenais que machucaram toda a minha raiz, de tanta química em tão pouco tempo me descobri alérgica ao pó descolorante.

Enfim, contra a minha vontade teria mesmo que ficar morena, mas ficaria saudável. Assim que o cabelo se recuperou me mantive no tom natural das madeixas por pelo menos 6 meses (até meados de abril de 2009) quando eu percebi um corte químico (acreditem foi leve) que me obrigou a cortar. Cortei bastante porque realmente quis, não por estar tão prejudicado.

Apesar de tudo, onde passei por 3 cores em menos de 1 ano, esse cabelo foi forte e ainda esta… Ainda me mantenho loira com apenas luzes e cronograma capilar sem nenhuma outra química. Me identifiquei loira, aceitei ser ondulada.

Mais Atenta, experiente, cuidadosa e acima de qualquer coisa, desencanada com padrões.
Não precisa ter um cabelo enorme para agradar ninguém, não precisa alisar para ser bonita, não precisa ser magra para ser sexy. Gostar de você e se aceitar não é esquecer dos seus defeitos que não te agradam, tire proveito deles pois chega um dia que eles perdem a importância negativa e você aprende a enxerga-los de outro modo e assim não se prende a nada, se sente livre, se transforma.

Editado 29/06/2018 – Com as mudanças no blog e a criação do novo canal no IGTV, trago a sessão “Fala Mih” e nosso primeiro vídeo é um resumão divertido do post acima, vale a pena assistir. Com direito a nostalgia, pode?! É só clicar na imagem abaixo.

Fala Mih! – Mudar o cabelo

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *